tua mãe é maneira, mas tu é um filho da puta
Eu falo de várias mudanças, mas no final nada muda
Sou malandro, e minhas filosofias são contraditórias
Às vezes me entrego, te explicando alguma outra história
— Oriente

Tempo, tempo, tempo, não é o senhor de tudo.

Por algumas experiências, e digo algumas poucas, afirmo que a maior besteira é dizer que o tempo diminui, apaga ou pior ainda, que o tempo cura. Vocês acham que o tempo é uma forma de consolo, quando nunca foi. Para começar, a percepção do tempo, para cada um, é puramente psicológica. O relógio corre da mesma forma para todos, num mesmo tempo, mas não a sensação de sua passagem. Assim, quando uma pessoa sofre, o tempo simplesmente parece parar, quando ela quer mais que ele corra. Se essa mesma pessoa estiver passando por um momento extremamente feliz, ela vai sentir o tempo correr, quando na verdade gostaria que ele parasse por uns minutos. O sofrimento de alguém, é o mesmo hoje que daqui a um ano. Mas alguém vai usar isso como consolo? Ninguém diz: calma, daqui um ano você ainda vai lembrar disso, ainda vai sentir isso. Sabe o que acontece depois de um ano? Você convive com sua dor, da mesma forma que precisa conviver com uma pessoa que não te agrada. Não se lembra o tempo todo, mas quando bate de frente, é simplesmente muito incômodo. Você sente a dor que sentiu no primeiro dia, não menor, igual. Apenas teve que aceitar. Sabe porque o tempo “regenera” ? Porque quando ele passa, você arruma companhia para sua dor, novidades. Mas não há como preencher seu vazio com pessoas, conversas fiadas, piadas, danças, noites, comidas mais doces que amargas. Não dá. Cicatriz ainda é marca. E ela, independente do tempo, não te deixa esquecer nada e nem ninguém. 

Tô pra ver um daqui sucumbir
Você pode até sorrir mas no final vai chorar
Não quero estar aqui por muito tempo; é rito de passagem, não morada fixa.
Eu sei por quem eu to, eu sei quem tá por mim.
— Dalsin

Meu amor que é demais

Acho que o amor eleva a alma. Pra mim, amor tem que completar, preencher, curar, tapar, transbordar e acalmar. Há quem não seja digno de receber, mas dou mesmo assim. Porque o amor é assim, quando mais se recebe, mais se quer. Quanto mais amor falta, te sobra vazio. Logo hoje, que o problema mundial, é a falta de amor. Amor à si, amor próprio, amor ao próximo. As pessoas não se amam, não são capazes de amar o próximo. Elas julgam, elas ignoram, elas tapam os olhos, falam demais, fazem nada. Arrogante do caralho, do ca-ra-lho. Cade a humildade em ajudar quem precisa, a noção pra cuidar da própria vida, o amor próprio pra engolir a inveja, cortar o insulto, elogiar o bem feito e ignorar o mal feito? Não tem vida e fica dando de urubu? Sai zica. Vira gente, vira humano. Ninguém parece ter amor em si. Só tendo, pra aceitar as pessoas com suas características, só assim pra não criticar, só assim pra ajudar, só assim pra tratar todos como iguais. Seus bostas, cade o amor de vocês?